Câmara aprova a Semana de Biomedicina em Maringá

, , Leave a comment

Na sessão ordinária desta quinta-feira (10), foi aprovado, em segunda discussão, o Projeto de Lei n. 15.715/2020, de autoria do vereador Professor Niero, que institui a Semana Municipal da Biomedicina em Maringá. O projeto recebeu 13 votos favoráveis.

Niero defende iniciativas que possibilitem maior relevância do curso superior que é considerado novo, tendo chegado nas últimas décadas nas instituições de ensino maringaense.

“Criar a Semana da Biomedicina é uma sequência de um trabalho importante de inclusão do profissional também nas discussões públicas, já que conquistamos recentemente a inclusão de vagas para biomédicos em futuros concursos públicos municipais aqui em nossa cidade”, disse.

O projeto prevê parcerias público-privadas sobre o tema, além de incentivar medidas que levem ao público o conhecimento sobre questões envolvendo a biomedicina, por meio de palestras, seminários e outras atividades a serem desenvolvidas também pelas universidades.

O vereador lembrou do caso de uma biomédica brasileira que se destacou internacionalmente após desenvolver pesquisa científica envolvendo descobertas sobre a Covid-19.

A biomédica Jaqueline Goes de Jesus é uma das responsáveis pelo mapeamento do genoma do coronavírus no Brasil, e coordenou, juntamente com Claudio Tavares Sacchi, a equipe de cientistas que publicou a sequência do vírus dois dias após o primeiro caso do novo coronavírus ter sido confirmado no País.

ZEIS
Com cinco emendas, os vereadores também aprovaram, em segunda discussão, os nove projetos de lei complementar que transformam determinados imóveis em Zona Especial para Habitação de Interesse Social (Zeis). Os projetos sofreram emendas, que também serão debatidas e votadas durante a sessão.

Os imóveis ficam localizados no Jardim Sumaré, Jardim Itália II, Jardim Paulista, Jardim Carolina, Jardim Rebouças, Gleba Ribeirão Maringá e Gleba Ribeirão Morangueiro.

A autoria dos projetos relacionados à Zeis é do Poder Executivo. Com os projetos, ficarão transformados em Zeis determinadas áreas de imóveis, conforme previsto no inciso XV do artigo 24, no inciso I do artigo 64 e nos artigos 67, 68 e 70 da Lei Complementar nº 632/2006 que criou o Plano Diretor do Município de Maringá.

RETIRADO
O Projeto de Lei Complementar n. 1.963/2020, que tem autoria coletiva de seis vereadores, foi retirado por duas sessões de pauta após pedido da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Incluso na pauta com regime de urgência, o projeto dispõe sobre a adoção de medidas de vigilância em saúde necessárias ao controle das doenças causadas pelo vírus da dengue, da chikungunya, da zika e da febre amarela./ACS/CMM/Foto:Arquivo.

 

Deixe um comentário